Estudo – 1° Pedro

Data65 A.D.
Local Babilônia ou Roma (5:13)
Destinatários Cristãos hebreus na dispersão >>> todos os crentes
Tema Central O sofrimento do Cristão
Síntese Exortação à firmeza em meio ao sofrimento, à luz da esperança do crente no Redentor ressurreto >>> à vida piedosa

 

CAPÍTULO 1.

  1. Eleição– “Aos eleitos” (v.1 – não está no verso 2). No livro “O Supremo Propósito”, de DeVerne Fronke, há uma experiência de um garotinho que estava brincando atrás de uma cerca. Uma banda marcial, daquelas do tipo fanfarra está desfilando do outro lado da cerca. Seu irmão mais velho convida-o a assistir o desfile, mas ele prefere continuar a brincadeira. Quando o garoto ouve o barulho das cornetas, dos tambores e se dá conta do desfile, ele encontra um buraco na cerca através do qual ele pode ver o outro lado e ter uma visão pontual do que está acontecendo no desfile. Seu irmão percebe então seu interesse e lenvantando-o até os ombros o leva para um palanque, onde ele pode ver o que está na direção do buraco, de uma maneira mais ampla. Além disto, ele pode ver o que já havia passado pelo buraco e o que ainda passaria por ele.

Esta é a diferença básica entre a visão temporal e espacial que temos da visão completa e eterna do nosso Deus. Claro que este é só um exemplo, mas ilustra como Deus vê a história. Ele não é somente onisciente, mas onipresente. Considerando estes atributos de Deus, podemos entender como e porque ele elege sem interferir em nosso livre-arbítrio. A eleição é a escolha perfeita de um Deus perfeito que governa o universo soberanamente.

  1. Em santificação do Espírito– (Locativo – adjunto adverbial de lugar) – Em a santificação – o local aonde a conversação vai sendo aperfeiçoada. Fomos chamados ou escolhidos ou ainda eleitos, para dentro da santificação.
  2. Para obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo.Ele nos insere neste processo para uma vida de obediência e purificação das más obras de nossa carne. A aspersão, do grego “rantizo”, difere do grego “baptizo”, que significa imersão. Enquanto este trato de onde fomos estabelecidos, ou seja, na obra da cruz e na ressurreição, conforme Paulo nos fala em Romanos 6, a aspersão fala da purificação diária, como a que era feita pelo sumo-sacerdote, nos tempos do Velho Testamento, quando este aspergia o sangue para purificação. João, em sua primeira carta, diz que o sangue de Cristo nos purifica de todo pecado. A cruz nos regenera – batismo; o sangue nos purifica. A cruz trata com o velho homem, ou seja, com o pecador, com o pecado, com a velha natureza, uma vez para sempre; o sangue trata da purificação dos atos de pecados (I João 1 7-9).
  3. Para uma herança incorruptível.A obra de Cristo em nós nos aponta para uma herança incorruptível reservada. O plano de Deus não é livrar-nos do inferno. Isto é a conseqüência direta da nossa aliança com Cristo. O plano é levar-nos a receber esta herança, qual seja Ele mesmo, como marido, esposo, para com Ele reinarmos.
  4. Guardados pelo poder de Deus para uma salvação a ser revelada no último tempo. O poder de Deus nos guarda para esta salvação a ser revelada no último dia. A primeira salvação, a do espírito, nos habilita a este supremo propósito.

Uma vez confirmados, podemos alcançar este propósito, a salvação da nossa alma, a fim de nos tornarmos sua esposa e possuirmos o reino que nos “está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34).

Quando alguém faz seu passaporte e tira seu visto para qualquer nação, isto o habilita a entrar naquela nação, mas não significa que já entrou. Há uma distância entre ter direito ou estar habilitado legalmente e viajar.

Da mesma forma, ao saírem do Egito os hebreus se habilitaram a entrar em Canaã, mas nem todos, ou mesmo poucos entraram. O escritor da carta aos hebreus nos adverte para que prossigamos até que herdemos a promessa e não falhemos nos contentando com a salvação do espírito apenas (Hebreus 3:16 – 4:11).

  1. O valor da fé – Esta perspectiva deve motivar o crente e não o medo do inferno – saber que o valor da nossa fé, mais que o ouro, conforme fala Paulo em I Coríntios 3:13,14, uma vez confirmada, receberá o galardão, ou seja, atingirá o alvo, “a entrada amplamente suprida no reino eterno de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” (2 Pedro 1:11).
  2.  “… Por várias provações”.Conseguimos, então, entender o propósito das provações momentâneas, moldar o nosso caráter, em outras palavras, salvar a nossa alma (vv. 6 e 9).
  3. A salvação das vossas almas.Esta salvação, a da alma, que nos habilita ao casamento com Cristo e conseqüentemente, a reinar com Ele, é o tema da pregação dos profetas, que entenderam, pelo Espírito Santo, que não seria no tempo deles que esta revelação se cumpriria, mas estava reservada para a igreja. Portanto, devemos colocar todo nosso entendimento (literalmente, apertar com cinto ou cingir, como se faz com roupas largas a fim de fazer alguma atividade) e nos manter sóbrios, sem qualquer intoxicação, esperando na graça que vem com a revelação de Jesus Cristo, buscando nos amoldar à natureza de Deus e não às paixões da carne.
  4. “Sede santos, porque eu sou santo” – Porque Deus é santo, seu propósito é aperfeiçoar-nos para participarmos de sua natureza. Isto não é exatamente uma exortação, mas uma exposição de motivo, pelo qual devemos buscar a santidade. Não obstante, devemos lembrar que nossas obras, aliás, as obras de todos nós serão julgadas. Para que? Para salvação? Qual salvação? Se a primeira salvação, a do espírito, foi dada mediante a fé (Efésios 2:8 e 9), então é porque o autor está falando da salvação da alma. Nossas obras revelarão o quanto alcançamos da natureza de Deus, nós os que já fomos salvos no nosso espírito e nisto não há acepção de pessoas (v. 17).
  5. “Tendo purificado as vossas almas”-Claramente, Pedro fala aos que já foram comprados pelo sangue precioso do Cordeiro sem mácula e sem defeito (v. 19 e 20) e da nossa relação com Ele (v.21), qual seja: recebemos uma semente incorruptível, enxertada em nós, através da morte e ressurreição de Cristo Jesus. Quando nos unimos a Ele, numa aliança de fé, nosso espírito foi salvo, ou seja, foi religado a Deus novamente, por esta nova vida, a vida do Espírito Santo. Esta vida habilitou nossa alma para viver a vida de Deus também. Este processo na alma chama-se purificação (e não santificação no grego). A alma foi limpa, purificada, mas pode ser contaminada. O propósito é uma relação ardente e íntima com outros irmãos, a fim de que a alma cresça em santidade e coopere na edificação do corpo de Cristo, que será a futura esposa e reinará com Ele.

Note-se que a alma se torna pura e pronta para esta nova realidade, mas pode ser contaminada, contrariamente ao espírito, onde agora habita o Espírito Santo de Deus.

Em outras palavras, como diz Isaías 40:6-8 ( ou verso 24), se alimentarmos a alma com obras da carne ela irá perecer, mas se a alimentarmos com a palavra eterna de Deus, Jesus, em obediência à esta palavra viva que nos foi evangelizada, permanecerá para sempre.

  1. A  palavra evangelizada é esta, e ela é uma pessoa, Jesus.A palavra de Deus é mais que um livro, a verdade é Jesus (João 14:6).

 

CAPÍTULO 2

O capítulo 2 é um capítulo de transição. Como no primeiro capítulo nos foi mostrado a grandeza do propósito, da revelação aguardada e como podemos participar de tudo isto, agora há um desafio a que desejemos as coisas expostas, pelo valor delas.

  1. Há um convite, quase um apelo a que participemos deste propósito.Na verdade, devemos desejar como o bebê deseja o leite materno, o verdadeiro, genuíno leite para que cresçamos dentro do propósito, ou seja, do plano pré-idealizado por Deus. Antes, porém, devemos renunciar as coisas referentes ao nosso antigo ideal, cujo objetivo era satisfazer as necessidades da carne e promover seu crescimento (vv. 1 e2).
  2. A questão primordial para que participemos do Supremo Propósitoé ter experimentado a bondade do Senhor em nos incluir e com Ele termos uma relação de confiança eterna (v.3).
  3. A seguir, Pedro nos convida a aprofundarmos nossa relação com Cristo, a pedra viva.Ele é a pedra de esquina, lavrada, a pedra que sustenta todo edifício, que é Sua igreja viva. Como Ele é a pedra viva, também nós somos pedras vivas deste edifício. Enquanto Paulo usa a linguagem do corpo para explicar a igreja, Pedro usa um edifício. Lá, Ele é a cabeça, aqui Jesus é a pedra angular. Há algumas características que podemos destacar:
  4. Ele é o rejeitado, a pedra rejeitada, como Isaías descreve tão claramente no capítulo 53, verso 3. Quem quiser ser seu discípulo não deve buscar aprovação dos homens. Por isso, devemos romper com toda possibilidade de aceitação humana.
  5. A rejeição também aponta para o caráter do Seu ministério e conseqüentemente do nosso. Quem é rejeitado compreende a dor dos rejeitados e pode se compadecer dos outros.
  6. Este pedra é a preciosidade, a que agrada a Deus. Nós, como parte desse edifício, também fomos chamados a uma vida que dê prazer ao nosso Pai.
  7. Para os descrentes, esta Pedra Angular serve de justiça de Deus. Todo aquele que a rejeita, fecha a porta de entrada no plano eterno de Deus.
  8. A razão de participarmos desse chamamento não é para usufruirmos apenas. Somos cooperadores de Deus nesse projeto.Todo aquele que faz aliança com Cristo torna-se agente do projeto, na verdade, um sacerdote para o mundo. Não somos sacerdotes para nós mesmos, já temos um sumo-sacerdote, que ofereceu sacrifício uma vez para sempre, como está descrito na carta aos Hebreus, mas, como sacerdotes desta nova ordem, apresentamos Deus ao mundo e intercedemos a Deus por ele (v.9).
  9. A seguir vemos a expansão do projeto.No Velho Testamento, um povo, uma única tribo. Na nova aliança, todos os chamados se tornam sacerdotes (v. 10).
  10. Como cidadãos deste novo reino, sendo dele sacerdotes, devemos andar segunda a constituição do nosso novo país. Nada deve ser destinado ao velho reino, à velha senhora, a carne. Por causa da nossa nova cidadania, nos tornamos estrangeiros neste mundo, não obstante, devemos ser e dar exemplo nele, em sujeição, honra e serviço. Nosso padrão é o mesmo de Jesus e, assim, como ele se sujeitou, serviu e honrou a ordem instituída por Deus neste mundo, ainda que caída, devemos imitá-lo. Certamente, seremos rejeitados, porém, nesta condição, seremos aprovados por Deus. Se Ele, que é a pedra angular foi rejeitado e sofreu por sua posição, nós, pedras vivas, devemos esperar sofrimento igual também. Este sofrimento, no entanto, não é por causa do pecado, mas pela prática dos valores do Reino de Deus, o que o agrada e promove Seus valores. (vv.11-24a).
  11. A obra de Cristo nos matou para o pecado e para a carne, a fim de estarmos livres para servir a este propósito e manifestarmos a justiça do reino vindouro.

Amados, este é propósito de termos sido curados da nossa andança desgovernada e de agora termos nos convertido ao Pastor e Bispo de nossas almas (vv24b-25).

 

CAPÍTULO 3

Falamos acima que o capítulo 2 era um capítulo de transição, pois ele aborda as questões relativas ao propósito eterno, sua fundamentação e nossa participação para entrar em questões práticas que contribuem com a edificação dele.

Partindo deste tema, questões como manter o exemplo mesmo em meio ao sofrimento, passam a ser essenciais e isto significa praticar boas obras, dar exemplo de submissão às autoridades e nas relações sociais – os servos devem submeter-se aos seus senhores, pois isto é graça (este é a melhor tradução), é a mensagem principal da ordem celestial e, portanto, agrada ao Dono do Reino.

No capítulo 3 as questões práticas ganham força e clareza, pois o Reino é essencialmente prático.

  1. Em oposição à rebelião e a independência, o supremo propósito de um Reino Celestial tem como base a submissão ao governo de Deus nas ordens por Ele estabelecidas.As mulheres submetem-se aos seus maridos. Sua prática de vida, a partir de um homem interior transformado, se reflete exteriormente e devem alcançar os maridos. O exemplo de Sara com Abraão é levantado, lembrando que em Abraão o propósito começou a ser reconstruído, depois do pecado. Então, Sara é o modelo para as mulheres, assim como Abraão é para os homens (vv. 1-6)
  2. Sendo assim, os homens devem tratar suas esposas como pessoas de valor.Uma tradução literal para o início do verso 7 seria: “os maridos, igualmente, coabitem com conhecimento íntimo (intimidade) com sua mulheres, como vasos frágeis, proporcionando-lhes substancial honra ou valor”.  Esta palavra honra é a mesma usada para “honra teu pai e tua mãe e “honrar o Filho”, no Novo Testamento (v 7).
  3. Usando o Salmo 34:13-15, Pedro nos mostra que o valor da vida de Deuse viver dias produtivos está em apartar-se de todo tipo de mal.  Em oposição a isto, devemos ser: compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes. Isto traz a bênção do Senhor. É bom lembrar que a palavra vida aqui é “Zoe”, que é usada para a vida de Deus. Então o texto não fala da vida secular, mas de como viver plenamente a vida e o propósito de Deus (vv. 8-12).
  4. Novamente Pedro defende o sofrimento pela causa legítima. Aqui não há espaço para revide, mas uma ação que expresse Cristo. O Cristão não deve reagir, mas revelar seu interior para que aqueles que não conhecem a verdade fiquem envergonhados e por ela sejam alcançados. Foi esta a obra de nosso senhor Jesus Cristo e dele somos imitadores. (vv. 13-18).
  5. A seguir temos um texto bem polêmico, pois trata da ida de Jesus ao Hades.Como não podemos desvincular estes versos dos anteriores, creio que a ênfase é mostrar o tamanho do sofrimento de Cristo, que chegou até o Hades ou inferno e ali anunciou, ou proclamou (o verbo não é evangelizar) sua vitória aos espíritos que estão em prisão, desde o tempo de Noé, quando do julgamento através do dilúvio, mostrando que o caminho para a salvação tem sido o mesmo  – crer Nele, numa relação de obediência. Lá trás, no Velho Testamento, no Cristo que viria, cujo símbolo era a Arca. Agora, no Cristo que já veio, mas o mesmo Cristo.  A salvação através da água, prefigura o batismo, que nos introduz numa nova vida e num novo Reino, através do qual, somos removidos de nossa velha natureza e enxertados na natureza de Cristo, por Sua ressurreição. Através desta sua obra de morte e ressurreição ele não só nos salvou, mas sujeitou todo mundo espiritual a si mesmo, assentando-se à direita do Pai (vv.19-22).

 

D.C.S.S.

***********************

PRIMEIRA CARTA DE PEDRO AOS GENTIOS CRISTÃOS QUE ESTAVAM DISPERSOS EM VÁRIOS LUGARES DESTA TERRA

LEMBRETE: Nosso Senhor orou por Pedro.

“Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”.  LUCAS 22:32

 

CAPÍTULO 1

Versiculo 2

—–Fomos escolhidos Nêle antes da fundação do mundo, ou seja, numa eternidade passada – Efésios 1:4

—– Nossa santificação é ao nível do Espírito, fazendo fluir para todas as nossas ações exteriores, purificando assim o nosso coração da má consciência e lavado o corpo com água pura como nos testifica as escrituras – Hebreus 10:22

—– O propósito da nossa eleição é que estejamos em conformidade com a vontade de Deus, somos feitura Dele gerados em Cristo Jesus para boas obras. Tudo foi preparado por Deus para que andemos nas boas obras. – Efésios 2:10

—– A aspersão do sangue de Jesus Cristo nos leva a:

  1. Santificação quanto à purificação da carne – Hebreus 9: 13 e 14
  2. Selagem da nova aliança – Hebreus 12:24
  3. Sermos consagrados ao sacerdócio – Hebreus 10: 19 a 22

——- A comunhão é uma arma contra os ataques do inimigo, nela nós encontramos abundância de paz e graça, pois esses atributos são riquíssimos no filho de Deus.

 

Versículo 3

—– Fomos reproduzidos após estarmos destruídos, fruto da misericórdia infinita do Senhor que se renova a cada manhã, podemos então ser participantes de uma viva esperança.

Tito 3:5Efésios 2: 4 a 7

 

Versículo 4

—– É maravilhoso ter a certeza que nossa herança é eterna, e que nunca murchará ou será manchada, essa herança será dada a todo filho que perseverar até à manifestação do Supremo Pastor. – 1 Pedro 5:4

—– A esperança que nos está reservada nos céus tem que ascender em nós uma chama tal que aquece nossa fé intensamente no Filho de Deus e a todos os irmãos. – Colossenses 1: 4 e 5

 

Versículo 5

——- Como filhos somos guardados por Deus, através da fé para obtermos a herança incorruptível, somos preservados pelo poder de Deus.

 

Versículo 6

—— Ao pensarmos no que está sendo reservado para nós devemos ser movidos de exultação, ainda que estejamos cercados de provações, isso nos identifica com nosso mestre.

1 Pedro 4:13

—— Como somos guardados pelo seu poder, seremos apresentados à sua glória com exultação, e isso é maravilhoso para todos nós. Judas 24

 

Versículo 7

—– O valor da nossa fé é imensurável não havendo nenhuma moeda nesta terra que se compare ao valor da nossa fé.

—— Jó no capítulo 23:10 diz que a prova de Deus nos agrega valores comparado ao Ouro: “Mas Êle sabe o meu caminho; se Êle me provasse, sairia eu como o ouro”.

—– Nossa caminhada até a vinda de nosso Senhor ou até nossa partida desta terra deixará a obra que fizemos, pois o dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo.

1 Cor 3:13

—— Será maravilhosa a manifestação do nosso Senhor, e àqueles que foram fiéis até ao fim, será um alívio indizível, mas quanto aos reprovados serão banidos da face do nosso Senhor e da gloria do seu poder. – 2 Tessalonicenses 1:7 a 12

 

Versículo 8

—– Sem fé é impossível agradar a Deus, é algo que lidamos de Espírito para Espírito, o olho natural não coopera com esta relação, mas sim o crer, Jesus perguntava aos seu ouvintes: Você crê? E não: Você vê? A credulidade causa em nós uma alegria indizível.

João 20:29Hebreus 11:1

 

Versículo 9

—— O fim da nossa fé, por incrível que pareça, será no dia do nosso encontro, ou seja, da manifestação do autor da nossa fé. Romanos 12:3

 

Versículo 10, 11 e 12

—– Temos provado e visto as coisas que os próprios profetas que profetizaram, não provaram e nem viram, cabe a nós acompanhar, conhecer e atender às profecias, para que o cumprimento de cada uma delas possa brilhar dentro e fora de nós como uma candeia que brilha em lugar tenebroso. 2 Pedro 1: 19 a 21.

 

Versiculo 13

—– Devemos estar atentos e com nosso entendimento enriquecido com a graça trazida até nós por meio de Jesus Cristo, sendo criteriosos no conhecimento do filho de Deus. – 1 Pedro 4:7

—– Em todo tempo devemos ter vigilância e não estar sonolentos quanto à revelação da palavra. – 1 Tessal 5:6

 

Versículo 14

—– Somos nascidos de novo e não devemos nada ao passado, nosso modelo é Cristo, pois foi obediente ao pai, somos filhos que conhecem o pai, portanto devemos desfrutar do ambiente; o da luz, porque nosso pai é luz. – 1Pedro 1:23 e  1 João 1:5 a 7

 

Versículos 15 e 16

—– Devemos ter santidade em todo nosso procedimento, pois fomos chamados pelo Santo, e ensinados por Êle a ser Santos, sabendo que Êle nos adotou e deseja que a morada do seu Espírito seja santa – 1 Tessal 4:3,4 e 2 Pedro 3:11

 

Versículo 17

——- Devemos andar em todo tempo com temor, porque seremos julgados segundo nossas obras; nesta terra somos peregrinos e forasteiros e estamos dentro de uma guerra. 1 Pedro 2:11

—— Com nosso Deus não há acepção de pessoas, porque nosso Deus é justo.

Rom 2:11

 

Versículos 18 e 19

—— Não podemos deixar que o Sangue que nos resgatou perca seu valor pelo motivo de passarmos por tribulações, a fé quando valorizada pelo sofrimento excede ao valor da prata e do ouro, por causa disso somos sem mácula e irrepreensíveis.

1 Pedro 3:14

—— O cordeiro imaculado doou seu Sangue para purificar nossa alma. João 1:29,36

 

Versículo 20

—– O grande amor de Deus fez com que manifestasse a nós o mistério que estava oculto dos séculos e das gerações. Coloss 1:26; Tito 1:2,3; Apoc 13:8

 

Versículo 21

—– Em Jesus estamos seguros de que somos conduzidos a Deus, e podemos ter fé Nêle que ressuscitou Jesus dentre os mortos, ao qual nossa esperança está exclusivamente Nêle. Mateus 28:18Ef 1:20Hb 2:9

 

Versículo 22

—— A verdade tem o poder de nos purificar, por isso é fundamental nossa obediência à verdade, e o amor uns pelos outros aquecido pela verdade que está em nós.

Atos 15:91 Tessal 4:9

—– A fonte do amor fraternal é uma alma purificada, a maneira é seguindo a verdade com uma natureza genuína de um coração ardente.

 

Versículos 23, 24 e 25

—– A palavra de Deus tem o poder de nos reconstruir; fazendo-nos filhos da luz permanentemente.

—— A ressurreição de Cristo fez a operação do novo nascimento em nós.

—— Não podemos confiar na nossa carne, pois a carne não pode ser aproveitada para nada, mas a palavra viva de Deus permanece para sempre.

Tiago 1:18Isaias 40: 6 a 8João 6:63

 

CAPÍTULO 2

Versiculo 1

—– Somos pessoas comprometidas com a santidade de Deus, portanto a carne sempre fará investidas com exigências, como filhos de Deus devemos dizer Não a estas exigências. Col 3:5 a 11

—– Temos que estar alertas em todo o tempo, mantendo nossa mente pura, pois temos a mente de Cristo. 1 Cor 2:16

—– Em todo nosso relacionamento devemos ser honestos, sinceros e puros. Ef 4:32

 

Versículos 2 e 3

—– Devemos ter fome de Cristo como uma criança faminta pelo leite de sua mãe.

João 6:57

—– Cristo nosso pão diário nos fornece todos os ingredientes necessário para fazer crescer nossa salvação. João 6:32 a 35 –  Salmo 34:8

 

Versículo 4

—– Temos que nos apresentar a Êle, Jesus, a pedra viva que foi rejeitada pelos homens, mas preciosa para Deus, uma pedra já profetizada.

Isaias 28:16– Isaias 8:14 – Salmo 118:22 e 23

 

Versículo 5

——- Podemos compartilhar da vida de Cristo, a pedra viva através do Espirito Santo que nos foi dado. João 7:37 a 39

—— Somos edificados sobre o fundamento da vontade de Deus, e nunca podemos perder de vista a confiança de que este fundamento é Cristo a pedra viva.

Ef 2:20 a 22

—— Podemos oferecer nossos sacrifícios espirituais a Deus como um bom perfume de Cristo, porque somos seus vasos de alabastro (Alabastro = Mármore) que ao ser quebrado exala Cristo ao pai celestial. Rom 12:1 – 2 Cor 2:14 a 16

 

Versículos 6 e 7

—— Não serão envergonhados de modo algum aos que creem na pedra viva, pois o exercício da fé faz nosso Senhor operar o milagre, e manifestar sua vida, confirmando assim a palavra profética de que Cristo é a pedra fundamental da igreja e autor da fé.

João 20:29– Atos 4:11

 

Versículo 8

—– Aos Rebeldes da palavra a pedra viva se torna rocha de ofensa e tropeço, mas aos obedientes é santuário. Isaias 8:14 e 15

 

Versículo 9

—– Aos obedientes e tementes a Deus é dado o poder de estarem na periferia do trono, sendo enriquecidos das virtudes do pai e proclamando-as ao mundo incrédulo.

—– Os filhos de Deus podem desfrutar da nova aliança. Jer 30:21 e 22 – Jer 31:31 a 37

—– A nova aliança nos proporciona:

1 – Privilégio como povo escolhido – Êxodo 19:5 –  Isaias 43:20 e 21

2 – Sacerdócio real – Êxodo 19:6 – Rom 15:16 – Ef 5:2

3 – Reinado de Cristo – Apoc 5:9 e 10

 

Versículo 10

—— Antes estávamos longe, mas nosso Senhor pelo seu sacrifício nos trouxe para dentro de sua realidade fazendo-nos família de Deus.

Oséias 2:23– Ef 2:11 a 19

LEMBRETE: Nosso Senhor orou por Pedro.

“Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”.  LUCAS 22:32

 

Versiculo 11

—– Paulo utilizou para os irmãos de Coríntios que viviam satisfazendo a vontade da carne o termo crianças, ou seja, pessoas que estão centralizadas em si mesmas, em vez de darem a centralidade a Cristo.

1 Cor 3:1– Rom 13:14 – 1 Pedro 1:17 – 1 Pedro 3:15

 

Versículo 12

—– Nosso testemunho de vida deve fazer fluir a vida do nosso mestre, para que o pai celestial seja glorificado num mundo perdido e perverso, porque somos a luz do mundo.

Mateus 5:14 a 16– Rom 12:17 – Fil 2:14 e 15 – 1 Pedro 3:15 a 17

 

Versículos 13 e 14

—– Devemos manter uma vida exemplar perante o mundo, sujeitando voluntariamente por amor a Deus as instituições de ordem social e civil.

Rom 13:1 a 7– Mateus 22:17 a 21 – Tito 3: 1 e 2

 

Versículo 15

——- Não entrar em contendas com os homens, mas ao praticarmos o bem estaremos emudecendo a ignorância dos insensatos.

Tito 2: 7 e 8

 

Versículo 16

—— Certo escritor disse: “A única liberdade verdadeira, da qual uma criatura como o homem é capaz, é o uso livre de suas capacidades no serviço de Deus”.

1 Cor 7:20 a 24– Gal 5:13

 

Versículo 17

—– Nosso tratamento às autoridades delegadas deve ser sempre com honra.

Prov 24:21

—– A cordialidade entre os irmãos promove um ambiente agradável.

Rom 12:10– Fil 2:3 – 1 Pedro 1:22

—– O temor a Deus é o princípio da sabedoria, portanto a sabedoria é atributo de Deus, o temor nos tornará sabedoria de Deus e se nos acrescentarão anos de vida.

Prov 9:10 e 11

 

Versículos 18; 19 e 20

—– A submissão é absoluta e deve ser praticada de forma imparcial.

Ef 6:5– 1 Tim 6:1

—– Devemos estar com nossa consciência limpa para com Deus.

1 Tim 1:19

—– Ao sofrermos injustamente não só glorificamos a Deus, mas também manifestamos a sua graça atuante em nossa vida: Cristo em nós.

Lucas 6:32 a 36– 1 Pedro 3:14

 

Versículos 21 e 22

—— Que maravilhoso é Jesus em tudo Êle foi exemplo para que pudéssemos seguir seus passos, Êle não nos ofereceu um mar de rosas, mas deixou claro que nunca nos abandonaria, seja em quaisquer circunstâncias que nos encontramos.

Mateus 16:24– Atos 14:22 – 1 Tessal 3:3 – 1 Pedro 3:18

 

Versículo 23

—– Nosso Senhor mesmo no sofrimento foi dependente do pai, Êle considerava que abrindo mão do pai Êle seria um fracasso.

Isaias 53:7– Lucas 23:46 – Heb 12:3

 

Versículo 24

—– Jesus não somente sofreu as dores de sua carne, como também suportou a carga dos nossos pecados no madeiro.

Isaias 53:4 a 6

—– Ao morrer na cruz Jesus consumou a morte do nosso homem do pecado, e em sua  ressurreição trouxe a vida de justiça no homem reconstruído.

Hebreus 9:28– Rom 6:2 a 11

 

Versículo 25

—– Antes estávamos perdidos no mundo, sem direção e independentes, vivendo uma vida fútil, agora podemos nos alegrar, pois temos um alimentador e supervisor de nossa alma. João 10:11 a 15

CAPÍTULO 3

 

Versiculo 1

—– A esposa tomando o exemplo de Cristo em submissão, mansidão, cooperação e tranquilidade, está capacitada pelo seu procedimento ganhar o marido que não obedece a palavra tendo em suas atitudes o poder de convencimento.

Ef 5:22– Col 3:18 – Tito 2:5

—– A esposa que ainda não tem seu marido como discípulo do Senhor deve ter como meta a busca constante em orações e jejuns para que seu marido se converta a discípulo de Cristo, e tenha a proteção em seu lar de um homem que está sob a orientação de Jesus, pois o marido foi posto como cabeça do lar.

1 Cor 11:3

 

Versículo 2

—– O comportamento honesto com temor da esposa tem o poder de atrair o marido pecador, fazendo com que êle tenha os olhos espirituais abertos e veja seu estado real de pecador e longe de Deus.

Mateus 5:16

 

Versículos 3,4,5 e 6

—–A ênfase aqui não é de condenação aos adornos, mas sim, não deixar que esses adornos sejam a atração dos homens em contraste com a santidade interior apreciada por Deus.

1 Tim 2:9 a 11

—– Não devemos atentar somente para a nossa aparência externa, mas atentar para o nosso interior para que possamos produzir o fruto do espírito que é agradável a Deus.

1 Sam 16:7

—– Nosso homem interior já assumiu a natureza de Cristo, portanto estamos orientados pelas veredas da justiça, e não mais atentamos para os anseios do homem exterior.

Rom 7:22– 2 Cor 4:16

 

Versículo 7

—– Cabe ao marido conhecer tudo o que ocorre no lar através do discernimento que é fruto de sua oração constante, o que trará uma sensibilidade de que a esposa é a parte delicada, digna de respeito e atenção, lembrando que junto dela somos herdeiros da graça de Cristo.

—– A oração juntos proporciona maior liberdade e intimidade nas coisas concernentes ao espírito.

Ef 5:25 a 33

 

Versículos 8 e 9

—— Devemos amar uns aos outros dando sempre honra ao próximo, sabendo que Deus foi misericordioso e humilde para conosco. Orar pelos que nos maltratam é uma prática que agrada ao nosso pai celestial.

Rom 12:10, 14 a 18– 1 Tessal 5:15 – Prov 17:13 – Mateus 5:39

 

Versículo 10

—– Devemos ter domínio sobre nossa língua, não deixando-nos vencer pelo ímpeto dos comentários onde há dolo, pois fazendo assim nosso amor pela vida crescerá, e nossos dias serão felizes.

Salmo 34:12 a 16– 1 Pedro 2:1 – Tiago 3:1 a 12

 

Versículo 11

—– Nosso empenho em fazer o bem, e promover a paz deve ser uma marca poderosa em nós como filhos de Deus, não dando lugar ao mal, porque somos testemunhas do amor de Deus aos pecadores.

Salmo 37:27– Rom 12:18 – Heb 12:14

 

Versículo 12

—– A intimidade do justo para com nosso Senhor atrai a atenção do Pai celestial às suas orações. Opostamente o Senhor não está atento ao clamor dos que praticam o mal.

Salmo 34:12 a 16

 

Versiculo 13

—– Devemos como filhos da luz, buscar sempre o que é bom, sabendo que as promessas da palavra de Deus nunca irão falhar.

Prov 16:7

 

Versículo 14

—– Gozamos de alto privilégio quando sofremos por causa da justiça, o Senhor nos disse que estaria conosco todos os dias. A reação comum no sofrimento não é somente sentir-se triste, mas desprezados e abandonados por Deus. Para nós não será assim, pois Êle disse que estaria conosco.

Mateus 5:10

—– Somos propriedades do Pai da vida, portanto não devemos temer nenhuma ameaça, pois ainda que percamos a vida terrena seremos ressuscitados para Êle.

2ª Cor 1:8 e 9

 

Versículos 15 e 16

—– Nossa fidelidade no relacionamento com Cristo irá nos fortalecer no entendimento de Sua soberania.

Isaias 8:12 e 13

—– Devemos se estudiosos da palavra, íntimos do Espírito Santo, para que a graça doce de nosso Senhor possa impactar aqueles que questionam a razão de nossa esperança e fé.

Tito 2:8– 1ª Pedro 2:12

 

Versículo 17

—– Um dos frutos da vida do Cristão deve ser a prática do que é bom, portanto o cristão não deveria sofrer por praticar o mal, então o cristão que sofre é por permissão do nosso pai celestial, pois esse sofrimento é imerecido como o de nosso Senhor foi.

 

Versículo 18

—— Não há e nem pode haver nenhum sacrifícios pelos pecados

Hebreus 9:25 e 26

—– Jesus foi justo, mas na sua carne levou todos os nossos pecados em sua morte, mas em espírito estava bem vivo restaurando para Deus pai sua criação que o havia rejeitado, até a alegria do coração de Deus foi restaurada.

Rom 1:4– 2ª Cor 13:4

 

Versículos 19 e 20

—— Deus é justo, Jesus em espírito esteve com os espíritos que estavam em prisão nos três dias em que estava no túmulo, estava pregando o arrependimento àqueles que outrora foram rebeldes (I Pe. 4:6)

—– Êsses espíritos em prisão eram os homens que na época de Noé morreram através das águas do dilúvio devido aos seus pecados, onde naquele tempo somente a família de Noé (8 pessoas) foram salvas pela arca.

Gen 6: 1 a 7 e 24

 

Versículo 21

—— Da mesma maneira que a família de Noé foi salva do mundo mal pelas águas do dilúvio nós também o seremos pelas águas do batismo.

—– Tendo uma boa consciência para com Deus como filhos amados, que estão aliançados pela fé na ressurreição do nosso mediador Jesus Cristo que nos deu vida.

Rom 10:10– Tito 3: 5

 

Versículo 22

—– Nosso Senhor está assentado à direita de Deus pai com toda autoridade que conquistou ao morrer na cruz por nossos pecados; autoridade esta sobre potestades, principados e poderes.

Mateus 28:18– Salmo 110:1 – 1ª Cor 15:24 – Col 3:1

 

CAPÍTULO 4:1 a 11

Versículo 1

—— Nossa identidade deve ser compartilhada com a de Cristo e seu sofrimento.

—— Jesus foi vitorioso sobre o poder e castigo do pecado, portanto com sua morte todos nós abandonamos o corpo do pecado, e tomamos um novo corpo na sua ressurreição.

Rom 6:1 a 11– Gal 5:24 – 1ª Pedro 3:18

 

Versículo 2

—— Vamos aproveitar o máximo de Cristo nesse tempo que nos resta de vida nesta terra, rejeitando tudo que é requerimento da carne.

—— Fomos regenerados para fazer a vontade de Deus.

Tiago 1:18– 2ª Cor 5:15

—— Podemos agora declarar nossa filiação, pois somos agora filhos e não somente criaturas de Deus.

João 1:11 a 13

 

Versículo 3

—– Antes de conhecermos a Deus andávamos sob a vontade dos homens sem Deus cometendo várias abominações, mas Ele nos chamou ao arrependimento.

Ezequiel 44:6– Atos 17:30,31 – 1ª Pedro 1:14

 

Versículo 4

—– Os Filhos de Deus andam na contramão do mundo, causando automaticamente uma exposição dos erros dos homens pecadores, e isso causa desagrado a estes.

Atos 13:45– 1ª Pedro 3:16

 

Versículo 5

—– Todos os homens hão de prestar contas ao Autor da vida, seja do bem que fizeram ou o mal, um o prêmio do bem realizado, o outro, o lago de fogo e enxofre.

Atos 17:31– Atos 10:42 – 2ª Tim 4:1

 

Versículo 6

—– Mesmo os que morreram em pecado antes da vinda de Jesus, desfrutaram em espírito da misericórdia de Deus, pois o evangelho foi pregado a eles para arrependimento.

1ª Pedro 3:19

 

Versículo 7

—— Devemos estar preparados para encontrarmos com nosso Senhor, estando sempre atentos, tendo em nós sua palavra preservando o temor de Deus em nossos corações.

Fil 4:5– Heb 10:25 – 1ª Pedro 1:13 – 2ª Pedro 3:9

 

Versículo 8

—— O amor deve ser intenso uns com os outros, pois em tempos difíceis daremos e receberemos encorajamento, e todo pecado será extirpado pelo amor.

Prov 10:12

 

Versículo 9

—– Nosso coração deve amar a hospitalidade, fazendo-o com alegria.

Fil 2:14– Heb 13:2

 

Versículo 10

—– Fomos chamados a ser servos, portanto devemos praticar o dom recebido de Deus, pois estamos supridos das muitas formas de sua graça.

Lucas 12:42 a 44– 1ª Cor 4:1,2

 

Versículo 11

—— O nosso falar deve ser como se as palavras fossem de Deus, como também todo nosso serviço deve estar respaldado pelas forças dadas por nosso Senhor, assim não desfaleceremos, e Deus será glorificado em tudo.

Jer 23:22– 1ª Tim 6:13 a 16

 

Versículos 12 e 13

—— As provas que os filhos de Deus experimentam estão sob seu controle, e estas tem como objetivo nos manter dependentes Dele, nos fazendo ver o grau da nossa fé, para que possamos crescer na fé e na geração de frutos para seu reino.

1ª Cor 3:13

—— Nenhuma prova está fora do controle de Deus, então, confiadamente podemos fazer entregas ao Pai das luzes.

1ª Cor 10:13

—— Assim como Jesus sofreu, nós também seremos introduzidos em sua história de sofrimento, portanto devemos nos alegrar ao ver em nós o cumprimento de sua palavra.

1ª Pedro 1:6,7

 

Versículo 14

—– Sofrimento pela causa de Cristo é privilégio, e isso vem a nós porque o mesmo espírito que repousou sobre Jesus o filho amado, também repousa sobre nós.

Tiago 1:12– Atos 5:41

 

Versículos 15 e 16

—– Nunca devemos retornar à vida que antes tínhamos de pecado tentando viver como se a vida sem depender de Deus não houvesse sofrimentos, mas devemos nos manter firmes em nossa vida como Cristãos, glorificando a Deus em nossos sofrimentos com este nome: Cristão.

—– A vergonha deve estar em nós por abandonarmos o caminho, ou quando o pecado vier nos enlaçar, mas jamais nos envergonhar ao sofrermos por amor a Jesus.

1ª Tess 4:11,12– 1ª Pedro 2:20

 

Versículos 17 e 18

—– Nem a seus filhos Deus poupa, ainda que tenhamos de glorifica-lo com nossa vida devemos fazê-lo, pois a maior profecia para nós é esta: Fomos criados para gloria de Deus.

—– Os rebeldes ao evangelho de Jesus experimentarão a fúria Divina.

Tiago 1:2 a 4– Tiago 1:12 – Apoc 6:15 a 17 – Prov 11:31

 

Versículo 19

—– Ao estarmos debaixo de sofrimento não devemos deixar de fazer o bem, mas sempre numa atitude de recomendar nossa alma ao fiel criador pois ele tem prazer quando seus filhos na pratica do bem se parecem com Jesus seu amado filho.

2ª Tim 1:12– 1ª Pedro 1:9 – Salmo 31:5

 

CAPÍTULO 5

Versículo 1

—– Inspirado pelo Espírito Santo Pedro não nega em se ver como um simples pastor entre muitos, portanto a idéia do mesmo ter sido o primeiro papa não tem base nas escrituras.

—– Pedro aprendeu a humildade que nasceu de suas falhas, e nós devemos viver isso com naturalidade.

Mateus 16:22,23– Mateus 26:69 a 75 – Gál 2:14

—– Pedro se identifica como testemunha dos sofrimentos de Cristo e co-participante da glória que há de ser revelada.

Rom 8:17,18– 1ª Pedro 4:13

 

Versículos 2,3 e 4

—– Àqueles que pastoreiam o rebanho de Deus devem fazê-lo:

  1. Com um espírito justo, não obrigado, mas de boa vontade.
  2. Com uma motivação correta, não visando lucro material, mas com alegria ao estar realizando um serviço para Deus.
  3. Não como ditador, mas como um guia exemplar que está conduzindo o rebanho segundo a palavra de Deus.
  4. Reconhecendo o supremo Pastor que é galardoador.

João 21:15 a 17– Ezequiel 34:1 a 10 – 1ª Cor 3:9 – 1ª Tim 4:12 – 1ª Cor 9:25

 

Versículo 5

—– Os jovens devem ver nos mais velhos uma dispensa que guarda muita experiência com a vida, tomando conselhos com estes, pois assim fazendo serão poupados de vários sofrimentos que a vida proporciona.

—– No relacionamento entre jovens os mesmos devem acolher opiniões e conselhos mutuamente com alegria sabendo que todos são filhos de Deus como ele é.

—– Todos devem se vestir de humildade, porque agindo no contrário Deus não libera sua graça àqueles que são soberbos.

Prov 3:14– Fil 2:3 a 11 – João 13:12 a 15

 

Versículos 6 e 7

—– A providência de Deus é soberana, podemos lançar toda nossa ansiedade sobre Ele.

1ª Pedro 2:23– Mateus 23:12 – Salmo 37:5 – Fil 4:6

 

Versículo 8

—- Devemos manter em todo tempo a sobriedade e a vigilância, não deixando nenhuma brecha ao adversário de nossa alma, pois como leão ele quer nos devorar.

Jó 1:7– 1ª Pedro 4:7 – Lucas 21:34

 

Versículo 9

—– Como filhos de Deus temos que nos armar em todo tempo da nossa fé, pois com ele nós podemos apagar todos os dardos inflamados do maligno.

Efésios 6:16– Tiago 4:7 – 1ª Tess 3:3

 

Versículo 10

—– Fomos chamados a uma gloria eterna, portanto ao passarmos por sofrimentos nunca será para nosso regresso, mas para nosso progresso na fé nos tornando cada vez melhores como cidadãos do céu.

 

1ª Cor 1:9– 1ª Pedro 1:6 – 1ª Tim 6:12

 

Data – 65 A.D.

Local – Babilônia ou Roma (5:13)

Destinatários – Cristãos hebreus na dispersão >>> todos os crentes

Tema Central – O SOFRIMENTO DO CRISTÃO

Síntese – Exortação à firmeza em meio ao sofrimento, à luz da esperança do crente no Redentor ressurreto >>> à vida piedosa

 

CAPÍTULO 1.

  1. Eleição– “Aos eleitos” (v.1 – não está no verso 2). No livro “O Supremo Propósito”, de DeVerne Fronke, há uma experiência de um garotinho que estava brincando atrás de uma cerca. Uma banda marcial, daquelas do tipo fanfarra está desfilando do outro lado da cerca. Seu irmão mais velho convida-o a assistir o desfile, mas ele prefere continuar a brincadeira. Quando o garoto ouve o barulho das cornetas, dos tambores e se dá conta do desfile, ele encontra um buraco na cerca através do qual ele pode ver o outro lado e ter uma visão pontual do que está acontecendo no desfile. Seu irmão percebe então seu interesse e lenvantando-o até os ombros o leva para um palanque, onde ele pode ver o que está na direção do buraco, de uma maneira mais ampla. Além disto, ele pode ver o que já havia passado pelo buraco e o que ainda passaria por ele.

Esta é a diferença básica entre a visão temporal e espacial que temos da visão completa e eterna do nosso Deus. Claro que este é só um exemplo, mas ilustra como Deus vê a história. Ele não é somente onisciente, mas onipresente. Considerando estes atributos de Deus, podemos entender como e porque ele elege sem interferir em nosso livre-arbítrio. A eleição é a escolha perfeita de um Deus perfeito que governa o universo soberanamente.

  1. Em santificação do Espírito– (Locativo – adjunto adverbial de lugar) – Em a santificação – o local aonde a conversação vai sendo aperfeiçoada. Fomos chamados ou escolhidos ou ainda eleitos, para dentro da santificação.
  2. Para obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo.Ele nos insere neste processo para uma vida de obediência e purificação das más obras de nossa carne. A aspersão, do grego “rantizo”, difere do grego “baptizo”, que significa imersão. Enquanto este trato de onde fomos estabelecidos, ou seja, na obra da cruz e na ressurreição, conforme Paulo nos fala em Romanos 6, a aspersão fala da purificação diária, como a que era feita pelo sumo-sacerdote, nos tempos do Velho Testamento, quando este aspergia o sangue para purificação. João, em sua primeira carta, diz que o sangue de Cristo nos purifica de todo pecado. A cruz nos regenera – batismo; o sangue nos purifica. A cruz trata com o velho homem, ou seja, com o pecador, com o pecado, com a velha natureza, uma vez para sempre; o sangue trata da purificação dos atos de pecados (I João 1 7-9).
  3. Para uma herança incorruptível.A obra de Cristo em nós nos aponta para uma herança incorruptível reservada. O plano de Deus não é livrar-nos do inferno. Isto é a conseqüência direta da nossa aliança com Cristo. O plano é levar-nos a receber esta herança, qual seja Ele mesmo, como marido, esposo, para com Ele reinarmos.
  4. Guardados pelo poder de Deus para uma salvação a ser revelada no último tempo. O poder de Deus nos guarda para esta salvação a ser revelada no último dia. A primeira salvação, a do espírito, nos habilita a este supremo propósito.

Uma vez confirmados, podemos alcançar este propósito, a salvação da nossa alma, a fim de nos tornarmos sua esposa e possuirmos o reino que nos “está preparado desde a fundação do mundo” (Mateus 25:34).

Quando alguém faz seu passaporte e tira seu visto para qualquer nação, isto o habilita a entrar naquela nação, mas não significa que já entrou. Há uma distância entre ter direito ou estar habilitado legalmente e viajar.

Da mesma forma, ao saírem do Egito os hebreus se habilitaram a entrar em Canaã, mas nem todos, ou mesmo poucos entraram. O escritor da carta aos hebreus nos adverte para que prossigamos até que herdemos a promessa e não falhemos nos contentando com a salvação do espírito apenas (Hebreus 3:16 – 4:11).

  1. O valor da fé – Esta perspectiva deve motivar o crente e não o medo do inferno – saber que o valor da nossa fé, mais que o ouro, conforme fala Paulo em I Coríntios 3:13,14, uma vez confirmada, receberá o galardão, ou seja, atingirá o alvo, “a entrada amplamente suprida no reino eterno de nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo” (2 Pedro 1:11).
  2.  “… Por várias provações”.Conseguimos, então, entender o propósito das provações momentâneas, moldar o nosso caráter, em outras palavras, salvar a nossa alma (vv. 6 e 9).
  3. A salvação das vossas almas.Esta salvação, a da alma, que nos habilita ao casamento com Cristo e conseqüentemente, a reinar com Ele, é o tema da pregação dos profetas, que entenderam, pelo Espírito Santo, que não seria no tempo deles que esta revelação se cumpriria, mas estava reservada para a igreja. Portanto, devemos colocar todo nosso entendimento (literalmente, apertar com cinto ou cingir, como se faz com roupas largas a fim de fazer alguma atividade) e nos manter sóbrios, sem qualquer intoxicação, esperando na graça que vem com a revelação de Jesus Cristo, buscando nos amoldar à natureza de Deus e não às paixões da carne.
  4. “Sede santos, porque eu sou santo” – Porque Deus é santo, seu propósito é aperfeiçoar-nos para participarmos de sua natureza. Isto não é exatamente uma exortação, mas uma exposição de motivo, pelo qual devemos buscar a santidade. Não obstante, devemos lembrar que nossas obras, aliás, as obras de todos nós serão julgadas. Para que? Para salvação? Qual salvação? Se a primeira salvação, a do espírito, foi dada mediante a fé (Efésios 2:8 e 9), então é porque o autor está falando da salvação da alma. Nossas obras revelarão o quanto alcançamos da natureza de Deus, nós os que já fomos salvos no nosso espírito e nisto não há acepção de pessoas (v. 17).
  5. “Tendo purificado as vossas almas”-Claramente, Pedro fala aos que já foram comprados pelo sangue precioso do Cordeiro sem mácula e sem defeito (v. 19 e 20) e da nossa relação com Ele (v.21), qual seja: recebemos uma semente incorruptível, enxertada em nós, através da morte e ressurreição de Cristo Jesus. Quando nos unimos a Ele, numa aliança de fé, nosso espírito foi salvo, ou seja, foi religado a Deus novamente, por esta nova vida, a vida do Espírito Santo. Esta vida habilitou nossa alma para viver a vida de Deus também. Este processo na alma chama-se purificação (e não santificação no grego). A alma foi limpa, purificada, mas pode ser contaminada. O propósito é uma relação ardente e íntima com outros irmãos, a fim de que a alma cresça em santidade e coopere na edificação do corpo de Cristo, que será a futura esposa e reinará com Ele.

Note-se que a alma se torna pura e pronta para esta nova realidade, mas pode ser contaminada, contrariamente ao espírito, onde agora habita o Espírito Santo de Deus.

Em outras palavras, como diz Isaías 40:6-8 ( ou verso 24), se alimentarmos a alma com obras da carne ela irá perecer, mas se a alimentarmos com a palavra eterna de Deus, Jesus, em obediência à esta palavra viva que nos foi evangelizada, permanecerá para sempre.

  1. A  palavra evangelizada é esta, e ela é uma pessoa, Jesus.A palavra de Deus é mais que um livro, a verdade é Jesus (João 14:6).

 

CAPÍTULO 2

O capítulo 2 é um capítulo de transição. Como no primeiro capítulo nos foi mostrado a grandeza do propósito, da revelação aguardada e como podemos participar de tudo isto, agora há um desafio a que desejemos as coisas expostas, pelo valor delas.

  1. Há um convite, quase um apelo a que participemos deste propósito.Na verdade, devemos desejar como o bebê deseja o leite materno, o verdadeiro, genuíno leite para que cresçamos dentro do propósito, ou seja, do plano pré-idealizado por Deus. Antes, porém, devemos renunciar as coisas referentes ao nosso antigo ideal, cujo objetivo era satisfazer as necessidades da carne e promover seu crescimento (vv. 1 e2).
  2. A questão primordial para que participemos do Supremo Propósitoé ter experimentado a bondade do Senhor em nos incluir e com Ele termos uma relação de confiança eterna (v.3).
  3. A seguir, Pedro nos convida a aprofundarmos nossa relação com Cristo, a pedra viva.Ele é a pedra de esquina, lavrada, a pedra que sustenta todo edifício, que é Sua igreja viva. Como Ele é a pedra viva, também nós somos pedras vivas deste edifício. Enquanto Paulo usa a linguagem do corpo para explicar a igreja, Pedro usa um edifício. Lá, Ele é a cabeça, aqui Jesus é a pedra angular. Há algumas características que podemos destacar:
  4. Ele é o rejeitado, a pedra rejeitada, como Isaías descreve tão claramente no capítulo 53, verso 3. Quem quiser ser seu discípulo não deve buscar aprovação dos homens. Por isso, devemos romper com toda possibilidade de aceitação humana.
  5. A rejeição também aponta para o caráter do Seu ministério e conseqüentemente do nosso. Quem é rejeitado compreende a dor dos rejeitados e pode se compadecer dos outros.
  6. Este pedra é a preciosidade, a que agrada a Deus. Nós, como parte desse edifício, também fomos chamados a uma vida que dê prazer ao nosso Pai.
  7. Para os descrentes, esta Pedra Angular serve de justiça de Deus. Todo aquele que a rejeita, fecha a porta de entrada no plano eterno de Deus.
  8. A razão de participarmos desse chamamento não é para usufruirmos apenas. Somos cooperadores de Deus nesse projeto.Todo aquele que faz aliança com Cristo torna-se agente do projeto, na verdade, um sacerdote para o mundo. Não somos sacerdotes para nós mesmos, já temos um sumo-sacerdote, que ofereceu sacrifício uma vez para sempre, como está descrito na carta aos Hebreus, mas, como sacerdotes desta nova ordem, apresentamos Deus ao mundo e intercedemos a Deus por ele (v.9).
  9. A seguir vemos a expansão do projeto.No Velho Testamento, um povo, uma única tribo. Na nova aliança, todos os chamados se tornam sacerdotes (v. 10).
  10. Como cidadãos deste novo reino, sendo dele sacerdotes, devemos andar segunda a constituição do nosso novo país. Nada deve ser destinado ao velho reino, à velha senhora, a carne. Por causa da nossa nova cidadania, nos tornamos estrangeiros neste mundo, não obstante, devemos ser e dar exemplo nele, em sujeição, honra e serviço. Nosso padrão é o mesmo de Jesus e, assim, como ele se sujeitou, serviu e honrou a ordem instituída por Deus neste mundo, ainda que caída, devemos imitá-lo. Certamente, seremos rejeitados, porém, nesta condição, seremos aprovados por Deus. Se Ele, que é a pedra angular foi rejeitado e sofreu por sua posição, nós, pedras vivas, devemos esperar sofrimento igual também. Este sofrimento, no entanto, não é por causa do pecado, mas pela prática dos valores do Reino de Deus, o que o agrada e promove Seus valores. (vv.11-24a).
  11. A obra de Cristo nos matou para o pecado e para a carne, a fim de estarmos livres para servir a este propósito e manifestarmos a justiça do reino vindouro.

Amados, este é propósito de termos sido curados da nossa andança desgovernada e de agora termos nos convertido ao Pastor e Bispo de nossas almas (vv24b-25).

 

CAPÍTULO 3

Falamos acima que o capítulo 2 era um capítulo de transição, pois ele aborda as questões relativas ao propósito eterno, sua fundamentação e nossa participação para entrar em questões práticas que contribuem com a edificação dele.

Partindo deste tema, questões como manter o exemplo mesmo em meio ao sofrimento, passam a ser essenciais e isto significa praticar boas obras, dar exemplo de submissão às autoridades e nas relações sociais – os servos devem submeter-se aos seus senhores, pois isto é graça (este é a melhor tradução), é a mensagem principal da ordem celestial e, portanto, agrada ao Dono do Reino.

No capítulo 3 as questões práticas ganham força e clareza, pois o Reino é essencialmente prático.

  1. Em oposição à rebelião e a independência, o supremo propósito de um Reino Celestial tem como base a submissão ao governo de Deus nas ordens por Ele estabelecidas.As mulheres submetem-se aos seus maridos. Sua prática de vida, a partir de um homem interior transformado, se reflete exteriormente e devem alcançar os maridos. O exemplo de Sara com Abraão é levantado, lembrando que em Abraão o propósito começou a ser reconstruído, depois do pecado. Então, Sara é o modelo para as mulheres, assim como Abraão é para os homens (vv. 1-6)
  2. Sendo assim, os homens devem tratar suas esposas como pessoas de valor.Uma tradução literal para o início do verso 7 seria: “os maridos, igualmente, coabitem com conhecimento íntimo (intimidade) com sua mulheres, como vasos frágeis, proporcionando-lhes substancial honra ou valor”.  Esta palavra honra é a mesma usada para “honra teu pai e tua mãe e “honrar o Filho”, no Novo Testamento (v 7).
  3. Usando o Salmo 34:13-15, Pedro nos mostra que o valor da vida de Deuse viver dias produtivos está em apartar-se de todo tipo de mal.  Em oposição a isto, devemos ser: compadecidos, fraternalmente amigos, misericordiosos, humildes. Isto traz a bênção do Senhor. É bom lembrar que a palavra vida aqui é “Zoe”, que é usada para a vida de Deus. Então o texto não fala da vida secular, mas de como viver plenamente a vida e o propósito de Deus (vv. 8-12).
  4. Novamente Pedro defende o sofrimento pela causa legítima. Aqui não há espaço para revide, mas uma ação que expresse Cristo. O Cristão não deve reagir, mas revelar seu interior para que aqueles que não conhecem a verdade fiquem envergonhados e por ela sejam alcançados. Foi esta a obra de nosso senhor Jesus Cristo e dele somos imitadores. (vv. 13-18).
  5. A seguir temos um texto bem polêmico, pois trata da ida de Jesus ao Hades.Como não podemos desvincular estes versos dos anteriores, creio que a ênfase é mostrar o tamanho do sofrimento de Cristo, que chegou até o Hades ou inferno e ali anunciou, ou proclamou (o verbo não é evangelizar) sua vitória aos espíritos que estão em prisão, desde o tempo de Noé, quando do julgamento através do dilúvio, mostrando que o caminho para a salvação tem sido o mesmo  – crer Nele, numa relação de obediência. Lá trás, no Velho Testamento, no Cristo que viria, cujo símbolo era a Arca. Agora, no Cristo que já veio, mas o mesmo Cristo.  A salvação através da água, prefigura o batismo, que nos introduz numa nova vida e num novo Reino, através do qual, somos removidos de nossa velha natureza e enxertados na natureza de Cristo, por Sua ressurreição. Através desta sua obra de morte e ressurreição ele não só nos salvou, mas sujeitou todo mundo espiritual a si mesmo, assentando-se à direita do Pai (vv.19-22).

 

D.C.S.S.

***********************

PRIMEIRA CARTA DE PEDRO AOS GENTIOS CRISTÃOS QUE ESTAVAM DISPERSOS EM VÁRIOS LUGARES DESTA TERRA

LEMBRETE: Nosso Senhor orou por Pedro.

“Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”.  LUCAS 22:32

 

CAPÍTULO 1

Versiculo 2

—–Fomos escolhidos Nêle antes da fundação do mundo, ou seja, numa eternidade passada – Efésios 1:4

—– Nossa santificação é ao nível do Espírito, fazendo fluir para todas as nossas ações exteriores, purificando assim o nosso coração da má consciência e lavado o corpo com água pura como nos testifica as escrituras – Hebreus 10:22

—– O propósito da nossa eleição é que estejamos em conformidade com a vontade de Deus, somos feitura Dele gerados em Cristo Jesus para boas obras. Tudo foi preparado por Deus para que andemos nas boas obras. – Efésios 2:10

—– A aspersão do sangue de Jesus Cristo nos leva a:

  1. Santificação quanto à purificação da carne – Hebreus 9: 13 e 14
  2. Selagem da nova aliança – Hebreus 12:24
  3. Sermos consagrados ao sacerdócio – Hebreus 10: 19 a 22

——- A comunhão é uma arma contra os ataques do inimigo, nela nós encontramos abundância de paz e graça, pois esses atributos são riquíssimos no filho de Deus.

 

Versículo 3

—– Fomos reproduzidos após estarmos destruídos, fruto da misericórdia infinita do Senhor que se renova a cada manhã, podemos então ser participantes de uma viva esperança.

Tito 3:5Efésios 2: 4 a 7

 

Versículo 4

—– É maravilhoso ter a certeza que nossa herança é eterna, e que nunca murchará ou será manchada, essa herança será dada a todo filho que perseverar até à manifestação do Supremo Pastor. – 1 Pedro 5:4

—– A esperança que nos está reservada nos céus tem que ascender em nós uma chama tal que aquece nossa fé intensamente no Filho de Deus e a todos os irmãos. – Colossenses 1: 4 e 5

 

Versículo 5

——- Como filhos somos guardados por Deus, através da fé para obtermos a herança incorruptível, somos preservados pelo poder de Deus.

 

Versículo 6

—— Ao pensarmos no que está sendo reservado para nós devemos ser movidos de exultação, ainda que estejamos cercados de provações, isso nos identifica com nosso mestre.

1 Pedro 4:13

—— Como somos guardados pelo seu poder, seremos apresentados à sua glória com exultação, e isso é maravilhoso para todos nós. Judas 24

 

Versículo 7

—– O valor da nossa fé é imensurável não havendo nenhuma moeda nesta terra que se compare ao valor da nossa fé.

—— Jó no capítulo 23:10 diz que a prova de Deus nos agrega valores comparado ao Ouro: “Mas Êle sabe o meu caminho; se Êle me provasse, sairia eu como o ouro”.

—– Nossa caminhada até a vinda de nosso Senhor ou até nossa partida desta terra deixará a obra que fizemos, pois o dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo.

1 Cor 3:13

—— Será maravilhosa a manifestação do nosso Senhor, e àqueles que foram fiéis até ao fim, será um alívio indizível, mas quanto aos reprovados serão banidos da face do nosso Senhor e da gloria do seu poder. – 2 Tessalonicenses 1:7 a 12

 

Versículo 8

—– Sem fé é impossível agradar a Deus, é algo que lidamos de Espírito para Espírito, o olho natural não coopera com esta relação, mas sim o crer, Jesus perguntava aos seu ouvintes: Você crê? E não: Você vê? A credulidade causa em nós uma alegria indizível.

João 20:29Hebreus 11:1

 

Versículo 9

—— O fim da nossa fé, por incrível que pareça, será no dia do nosso encontro, ou seja, da manifestação do autor da nossa fé. Romanos 12:3

 

Versículo 10, 11 e 12

—– Temos provado e visto as coisas que os próprios profetas que profetizaram, não provaram e nem viram, cabe a nós acompanhar, conhecer e atender às profecias, para que o cumprimento de cada uma delas possa brilhar dentro e fora de nós como uma candeia que brilha em lugar tenebroso. 2 Pedro 1: 19 a 21.

 

Versiculo 13

—– Devemos estar atentos e com nosso entendimento enriquecido com a graça trazida até nós por meio de Jesus Cristo, sendo criteriosos no conhecimento do filho de Deus. – 1 Pedro 4:7

—– Em todo tempo devemos ter vigilância e não estar sonolentos quanto à revelação da palavra. – 1 Tessal 5:6

 

Versículo 14

—– Somos nascidos de novo e não devemos nada ao passado, nosso modelo é Cristo, pois foi obediente ao pai, somos filhos que conhecem o pai, portanto devemos desfrutar do ambiente; o da luz, porque nosso pai é luz. – 1Pedro 1:23 e  1 João 1:5 a 7

 

Versículos 15 e 16

—– Devemos ter santidade em todo nosso procedimento, pois fomos chamados pelo Santo, e ensinados por Êle a ser Santos, sabendo que Êle nos adotou e deseja que a morada do seu Espírito seja santa – 1 Tessal 4:3,4 e 2 Pedro 3:11

 

Versículo 17

——- Devemos andar em todo tempo com temor, porque seremos julgados segundo nossas obras; nesta terra somos peregrinos e forasteiros e estamos dentro de uma guerra. 1 Pedro 2:11

—— Com nosso Deus não há acepção de pessoas, porque nosso Deus é justo.

Rom 2:11

 

Versículos 18 e 19

—— Não podemos deixar que o Sangue que nos resgatou perca seu valor pelo motivo de passarmos por tribulações, a fé quando valorizada pelo sofrimento excede ao valor da prata e do ouro, por causa disso somos sem mácula e irrepreensíveis.

1 Pedro 3:14

—— O cordeiro imaculado doou seu Sangue para purificar nossa alma. João 1:29,36

 

Versículo 20

—– O grande amor de Deus fez com que manifestasse a nós o mistério que estava oculto dos séculos e das gerações. Coloss 1:26; Tito 1:2,3; Apoc 13:8

 

Versículo 21

—– Em Jesus estamos seguros de que somos conduzidos a Deus, e podemos ter fé Nêle que ressuscitou Jesus dentre os mortos, ao qual nossa esperança está exclusivamente Nêle. Mateus 28:18Ef 1:20Hb 2:9

 

Versículo 22

—— A verdade tem o poder de nos purificar, por isso é fundamental nossa obediência à verdade, e o amor uns pelos outros aquecido pela verdade que está em nós.

Atos 15:91 Tessal 4:9

—– A fonte do amor fraternal é uma alma purificada, a maneira é seguindo a verdade com uma natureza genuína de um coração ardente.

 

Versículos 23, 24 e 25

—– A palavra de Deus tem o poder de nos reconstruir; fazendo-nos filhos da luz permanentemente.

—— A ressurreição de Cristo fez a operação do novo nascimento em nós.

—— Não podemos confiar na nossa carne, pois a carne não pode ser aproveitada para nada, mas a palavra viva de Deus permanece para sempre.

Tiago 1:18Isaias 40: 6 a 8João 6:63

 

CAPÍTULO 2

Versiculo 1

—– Somos pessoas comprometidas com a santidade de Deus, portanto a carne sempre fará investidas com exigências, como filhos de Deus devemos dizer Não a estas exigências. Col 3:5 a 11

—– Temos que estar alertas em todo o tempo, mantendo nossa mente pura, pois temos a mente de Cristo. 1 Cor 2:16

—– Em todo nosso relacionamento devemos ser honestos, sinceros e puros. Ef 4:32

 

Versículos 2 e 3

—– Devemos ter fome de Cristo como uma criança faminta pelo leite de sua mãe.

João 6:57

—– Cristo nosso pão diário nos fornece todos os ingredientes necessário para fazer crescer nossa salvação. João 6:32 a 35 –  Salmo 34:8

 

Versículo 4

—– Temos que nos apresentar a Êle, Jesus, a pedra viva que foi rejeitada pelos homens, mas preciosa para Deus, uma pedra já profetizada.

Isaias 28:16– Isaias 8:14 – Salmo 118:22 e 23

 

Versículo 5

——- Podemos compartilhar da vida de Cristo, a pedra viva através do Espirito Santo que nos foi dado. João 7:37 a 39

—— Somos edificados sobre o fundamento da vontade de Deus, e nunca podemos perder de vista a confiança de que este fundamento é Cristo a pedra viva.

Ef 2:20 a 22

—— Podemos oferecer nossos sacrifícios espirituais a Deus como um bom perfume de Cristo, porque somos seus vasos de alabastro (Alabastro = Mármore) que ao ser quebrado exala Cristo ao pai celestial. Rom 12:1 – 2 Cor 2:14 a 16

 

Versículos 6 e 7

—— Não serão envergonhados de modo algum aos que creem na pedra viva, pois o exercício da fé faz nosso Senhor operar o milagre, e manifestar sua vida, confirmando assim a palavra profética de que Cristo é a pedra fundamental da igreja e autor da fé.

João 20:29– Atos 4:11

 

Versículo 8

—– Aos Rebeldes da palavra a pedra viva se torna rocha de ofensa e tropeço, mas aos obedientes é santuário. Isaias 8:14 e 15

 

Versículo 9

—– Aos obedientes e tementes a Deus é dado o poder de estarem na periferia do trono, sendo enriquecidos das virtudes do pai e proclamando-as ao mundo incrédulo.

—– Os filhos de Deus podem desfrutar da nova aliança. Jer 30:21 e 22 – Jer 31:31 a 37

—– A nova aliança nos proporciona:

1 – Privilégio como povo escolhido – Êxodo 19:5 –  Isaias 43:20 e 21

2 – Sacerdócio real – Êxodo 19:6 – Rom 15:16 – Ef 5:2

3 – Reinado de Cristo – Apoc 5:9 e 10

 

Versículo 10

—— Antes estávamos longe, mas nosso Senhor pelo seu sacrifício nos trouxe para dentro de sua realidade fazendo-nos família de Deus.

Oséias 2:23– Ef 2:11 a 19

LEMBRETE: Nosso Senhor orou por Pedro.

“Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos”.  LUCAS 22:32

 

Versiculo 11

—– Paulo utilizou para os irmãos de Coríntios que viviam satisfazendo a vontade da carne o termo crianças, ou seja, pessoas que estão centralizadas em si mesmas, em vez de darem a centralidade a Cristo.

1 Cor 3:1– Rom 13:14 – 1 Pedro 1:17 – 1 Pedro 3:15

 

Versículo 12

—– Nosso testemunho de vida deve fazer fluir a vida do nosso mestre, para que o pai celestial seja glorificado num mundo perdido e perverso, porque somos a luz do mundo.

Mateus 5:14 a 16– Rom 12:17 – Fil 2:14 e 15 – 1 Pedro 3:15 a 17

 

Versículos 13 e 14

—– Devemos manter uma vida exemplar perante o mundo, sujeitando voluntariamente por amor a Deus as instituições de ordem social e civil.

Rom 13:1 a 7– Mateus 22:17 a 21 – Tito 3: 1 e 2

 

Versículo 15

——- Não entrar em contendas com os homens, mas ao praticarmos o bem estaremos emudecendo a ignorância dos insensatos.

Tito 2: 7 e 8

 

Versículo 16

—— Certo escritor disse: “A única liberdade verdadeira, da qual uma criatura como o homem é capaz, é o uso livre de suas capacidades no serviço de Deus”.

1 Cor 7:20 a 24– Gal 5:13

 

Versículo 17

—– Nosso tratamento às autoridades delegadas deve ser sempre com honra.

Prov 24:21

—– A cordialidade entre os irmãos promove um ambiente agradável.

Rom 12:10– Fil 2:3 – 1 Pedro 1:22

—– O temor a Deus é o princípio da sabedoria, portanto a sabedoria é atributo de Deus, o temor nos tornará sabedoria de Deus e se nos acrescentarão anos de vida.

Prov 9:10 e 11

 

Versículos 18; 19 e 20

—– A submissão é absoluta e deve ser praticada de forma imparcial.

Ef 6:5– 1 Tim 6:1

—– Devemos estar com nossa consciência limpa para com Deus.

1 Tim 1:19

—– Ao sofrermos injustamente não só glorificamos a Deus, mas também manifestamos a sua graça atuante em nossa vida: Cristo em nós.

Lucas 6:32 a 36– 1 Pedro 3:14

 

Versículos 21 e 22

—— Que maravilhoso é Jesus em tudo Êle foi exemplo para que pudéssemos seguir seus passos, Êle não nos ofereceu um mar de rosas, mas deixou claro que nunca nos abandonaria, seja em quaisquer circunstâncias que nos encontramos.

Mateus 16:24– Atos 14:22 – 1 Tessal 3:3 – 1 Pedro 3:18

 

Versículo 23

—– Nosso Senhor mesmo no sofrimento foi dependente do pai, Êle considerava que abrindo mão do pai Êle seria um fracasso.

Isaias 53:7– Lucas 23:46 – Heb 12:3

 

Versículo 24

—– Jesus não somente sofreu as dores de sua carne, como também suportou a carga dos nossos pecados no madeiro.

Isaias 53:4 a 6

—– Ao morrer na cruz Jesus consumou a morte do nosso homem do pecado, e em sua  ressurreição trouxe a vida de justiça no homem reconstruído.

Hebreus 9:28– Rom 6:2 a 11

 

Versículo 25

—– Antes estávamos perdidos no mundo, sem direção e independentes, vivendo uma vida fútil, agora podemos nos alegrar, pois temos um alimentador e supervisor de nossa alma. João 10:11 a 15

CAPÍTULO 3

 

Versiculo 1

—– A esposa tomando o exemplo de Cristo em submissão, mansidão, cooperação e tranquilidade, está capacitada pelo seu procedimento ganhar o marido que não obedece a palavra tendo em suas atitudes o poder de convencimento.

Ef 5:22– Col 3:18 – Tito 2:5

—– A esposa que ainda não tem seu marido como discípulo do Senhor deve ter como meta a busca constante em orações e jejuns para que seu marido se converta a discípulo de Cristo, e tenha a proteção em seu lar de um homem que está sob a orientação de Jesus, pois o marido foi posto como cabeça do lar.

1 Cor 11:3

 

Versículo 2

—– O comportamento honesto com temor da esposa tem o poder de atrair o marido pecador, fazendo com que êle tenha os olhos espirituais abertos e veja seu estado real de pecador e longe de Deus.

Mateus 5:16

 

Versículos 3,4,5 e 6

—–A ênfase aqui não é de condenação aos adornos, mas sim, não deixar que esses adornos sejam a atração dos homens em contraste com a santidade interior apreciada por Deus.

1 Tim 2:9 a 11

—– Não devemos atentar somente para a nossa aparência externa, mas atentar para o nosso interior para que possamos produzir o fruto do espírito que é agradável a Deus.

1 Sam 16:7

—– Nosso homem interior já assumiu a natureza de Cristo, portanto estamos orientados pelas veredas da justiça, e não mais atentamos para os anseios do homem exterior.

Rom 7:22– 2 Cor 4:16

 

Versículo 7

—– Cabe ao marido conhecer tudo o que ocorre no lar através do discernimento que é fruto de sua oração constante, o que trará uma sensibilidade de que a esposa é a parte delicada, digna de respeito e atenção, lembrando que junto dela somos herdeiros da graça de Cristo.

—– A oração juntos proporciona maior liberdade e intimidade nas coisas concernentes ao espírito.

Ef 5:25 a 33

 

Versículos 8 e 9

—— Devemos amar uns aos outros dando sempre honra ao próximo, sabendo que Deus foi misericordioso e humilde para conosco. Orar pelos que nos maltratam é uma prática que agrada ao nosso pai celestial.

Rom 12:10, 14 a 18– 1 Tessal 5:15 – Prov 17:13 – Mateus 5:39

 

Versículo 10

—– Devemos ter domínio sobre nossa língua, não deixando-nos vencer pelo ímpeto dos comentários onde há dolo, pois fazendo assim nosso amor pela vida crescerá, e nossos dias serão felizes.

Salmo 34:12 a 16– 1 Pedro 2:1 – Tiago 3:1 a 12

 

Versículo 11

—– Nosso empenho em fazer o bem, e promover a paz deve ser uma marca poderosa em nós como filhos de Deus, não dando lugar ao mal, porque somos testemunhas do amor de Deus aos pecadores.

Salmo 37:27– Rom 12:18 – Heb 12:14

 

Versículo 12

—– A intimidade do justo para com nosso Senhor atrai a atenção do Pai celestial às suas orações. Opostamente o Senhor não está atento ao clamor dos que praticam o mal.

Salmo 34:12 a 16

 

Versiculo 13

—– Devemos como filhos da luz, buscar sempre o que é bom, sabendo que as promessas da palavra de Deus nunca irão falhar.

Prov 16:7

 

Versículo 14

—– Gozamos de alto privilégio quando sofremos por causa da justiça, o Senhor nos disse que estaria conosco todos os dias. A reação comum no sofrimento não é somente sentir-se triste, mas desprezados e abandonados por Deus. Para nós não será assim, pois Êle disse que estaria conosco.

Mateus 5:10

—– Somos propriedades do Pai da vida, portanto não devemos temer nenhuma ameaça, pois ainda que percamos a vida terrena seremos ressuscitados para Êle.

2ª Cor 1:8 e 9

 

Versículos 15 e 16

—– Nossa fidelidade no relacionamento com Cristo irá nos fortalecer no entendimento de Sua soberania.

Isaias 8:12 e 13

—– Devemos se estudiosos da palavra, íntimos do Espírito Santo, para que a graça doce de nosso Senhor possa impactar aqueles que questionam a razão de nossa esperança e fé.

Tito 2:8– 1ª Pedro 2:12

 

Versículo 17

—– Um dos frutos da vida do Cristão deve ser a prática do que é bom, portanto o cristão não deveria sofrer por praticar o mal, então o cristão que sofre é por permissão do nosso pai celestial, pois esse sofrimento é imerecido como o de nosso Senhor foi.

 

Versículo 18

—— Não há e nem pode haver nenhum sacrifícios pelos pecados

Hebreus 9:25 e 26

—– Jesus foi justo, mas na sua carne levou todos os nossos pecados em sua morte, mas em espírito estava bem vivo restaurando para Deus pai sua criação que o havia rejeitado, até a alegria do coração de Deus foi restaurada.

Rom 1:4– 2ª Cor 13:4

 

Versículos 19 e 20

—— Deus é justo, Jesus em espírito esteve com os espíritos que estavam em prisão nos três dias em que estava no túmulo, estava pregando o arrependimento àqueles que outrora foram rebeldes (I Pe. 4:6)

—– Êsses espíritos em prisão eram os homens que na época de Noé morreram através das águas do dilúvio devido aos seus pecados, onde naquele tempo somente a família de Noé (8 pessoas) foram salvas pela arca.

Gen 6: 1 a 7 e 24

 

Versículo 21

—— Da mesma maneira que a família de Noé foi salva do mundo mal pelas águas do dilúvio nós também o seremos pelas águas do batismo.

—– Tendo uma boa consciência para com Deus como filhos amados, que estão aliançados pela fé na ressurreição do nosso mediador Jesus Cristo que nos deu vida.

Rom 10:10– Tito 3: 5

 

Versículo 22

—– Nosso Senhor está assentado à direita de Deus pai com toda autoridade que conquistou ao morrer na cruz por nossos pecados; autoridade esta sobre potestades, principados e poderes.

Mateus 28:18– Salmo 110:1 – 1ª Cor 15:24 – Col 3:1

 

CAPÍTULO 4:1 a 11

Versículo 1

—— Nossa identidade deve ser compartilhada com a de Cristo e seu sofrimento.

—— Jesus foi vitorioso sobre o poder e castigo do pecado, portanto com sua morte todos nós abandonamos o corpo do pecado, e tomamos um novo corpo na sua ressurreição.

Rom 6:1 a 11– Gal 5:24 – 1ª Pedro 3:18

 

Versículo 2

—— Vamos aproveitar o máximo de Cristo nesse tempo que nos resta de vida nesta terra, rejeitando tudo que é requerimento da carne.

—— Fomos regenerados para fazer a vontade de Deus.

Tiago 1:18– 2ª Cor 5:15

—— Podemos agora declarar nossa filiação, pois somos agora filhos e não somente criaturas de Deus.

João 1:11 a 13

 

Versículo 3

—– Antes de conhecermos a Deus andávamos sob a vontade dos homens sem Deus cometendo várias abominações, mas Ele nos chamou ao arrependimento.

Ezequiel 44:6– Atos 17:30,31 – 1ª Pedro 1:14

 

Versículo 4

—– Os Filhos de Deus andam na contramão do mundo, causando automaticamente uma exposição dos erros dos homens pecadores, e isso causa desagrado a estes.

Atos 13:45– 1ª Pedro 3:16

 

Versículo 5

—– Todos os homens hão de prestar contas ao Autor da vida, seja do bem que fizeram ou o mal, um o prêmio do bem realizado, o outro, o lago de fogo e enxofre.

Atos 17:31– Atos 10:42 – 2ª Tim 4:1

 

Versículo 6

—– Mesmo os que morreram em pecado antes da vinda de Jesus, desfrutaram em espírito da misericórdia de Deus, pois o evangelho foi pregado a eles para arrependimento.

1ª Pedro 3:19

 

Versículo 7

—— Devemos estar preparados para encontrarmos com nosso Senhor, estando sempre atentos, tendo em nós sua palavra preservando o temor de Deus em nossos corações.

Fil 4:5– Heb 10:25 – 1ª Pedro 1:13 – 2ª Pedro 3:9

 

Versículo 8

—— O amor deve ser intenso uns com os outros, pois em tempos difíceis daremos e receberemos encorajamento, e todo pecado será extirpado pelo amor.

Prov 10:12

 

Versículo 9

—– Nosso coração deve amar a hospitalidade, fazendo-o com alegria.

Fil 2:14– Heb 13:2

 

Versículo 10

—– Fomos chamados a ser servos, portanto devemos praticar o dom recebido de Deus, pois estamos supridos das muitas formas de sua graça.

Lucas 12:42 a 44– 1ª Cor 4:1,2

 

Versículo 11

—— O nosso falar deve ser como se as palavras fossem de Deus, como também todo nosso serviço deve estar respaldado pelas forças dadas por nosso Senhor, assim não desfaleceremos, e Deus será glorificado em tudo.

Jer 23:22– 1ª Tim 6:13 a 16

 

Versículos 12 e 13

—— As provas que os filhos de Deus experimentam estão sob seu controle, e estas tem como objetivo nos manter dependentes Dele, nos fazendo ver o grau da nossa fé, para que possamos crescer na fé e na geração de frutos para seu reino.

1ª Cor 3:13

—— Nenhuma prova está fora do controle de Deus, então, confiadamente podemos fazer entregas ao Pai das luzes.

1ª Cor 10:13

—— Assim como Jesus sofreu, nós também seremos introduzidos em sua história de sofrimento, portanto devemos nos alegrar ao ver em nós o cumprimento de sua palavra.

1ª Pedro 1:6,7

 

Versículo 14

—– Sofrimento pela causa de Cristo é privilégio, e isso vem a nós porque o mesmo espírito que repousou sobre Jesus o filho amado, também repousa sobre nós.

Tiago 1:12– Atos 5:41

 

Versículos 15 e 16

—– Nunca devemos retornar à vida que antes tínhamos de pecado tentando viver como se a vida sem depender de Deus não houvesse sofrimentos, mas devemos nos manter firmes em nossa vida como Cristãos, glorificando a Deus em nossos sofrimentos com este nome: Cristão.

—– A vergonha deve estar em nós por abandonarmos o caminho, ou quando o pecado vier nos enlaçar, mas jamais nos envergonhar ao sofrermos por amor a Jesus.

1ª Tess 4:11,12– 1ª Pedro 2:20

 

Versículos 17 e 18

—– Nem a seus filhos Deus poupa, ainda que tenhamos de glorifica-lo com nossa vida devemos fazê-lo, pois a maior profecia para nós é esta: Fomos criados para gloria de Deus.

—– Os rebeldes ao evangelho de Jesus experimentarão a fúria Divina.

Tiago 1:2 a 4– Tiago 1:12 – Apoc 6:15 a 17 – Prov 11:31

 

Versículo 19

—– Ao estarmos debaixo de sofrimento não devemos deixar de fazer o bem, mas sempre numa atitude de recomendar nossa alma ao fiel criador pois ele tem prazer quando seus filhos na pratica do bem se parecem com Jesus seu amado filho.

2ª Tim 1:12– 1ª Pedro 1:9 – Salmo 31:5

 

CAPÍTULO 5

Versículo 1

—– Inspirado pelo Espírito Santo Pedro não nega em se ver como um simples pastor entre muitos, portanto a idéia do mesmo ter sido o primeiro papa não tem base nas escrituras.

—– Pedro aprendeu a humildade que nasceu de suas falhas, e nós devemos viver isso com naturalidade.

Mateus 16:22,23– Mateus 26:69 a 75 – Gál 2:14

—– Pedro se identifica como testemunha dos sofrimentos de Cristo e co-participante da glória que há de ser revelada.

Rom 8:17,18– 1ª Pedro 4:13

 

Versículos 2,3 e 4

—– Àqueles que pastoreiam o rebanho de Deus devem fazê-lo:

  1. Com um espírito justo, não obrigado, mas de boa vontade.
  2. Com uma motivação correta, não visando lucro material, mas com alegria ao estar realizando um serviço para Deus.
  3. Não como ditador, mas como um guia exemplar que está conduzindo o rebanho segundo a palavra de Deus.
  4. Reconhecendo o supremo Pastor que é galardoador.

João 21:15 a 17– Ezequiel 34:1 a 10 – 1ª Cor 3:9 – 1ª Tim 4:12 – 1ª Cor 9:25

 

Versículo 5

—– Os jovens devem ver nos mais velhos uma dispensa que guarda muita experiência com a vida, tomando conselhos com estes, pois assim fazendo serão poupados de vários sofrimentos que a vida proporciona.

—– No relacionamento entre jovens os mesmos devem acolher opiniões e conselhos mutuamente com alegria sabendo que todos são filhos de Deus como ele é.

—– Todos devem se vestir de humildade, porque agindo no contrário Deus não libera sua graça àqueles que são soberbos.

Prov 3:14– Fil 2:3 a 11 – João 13:12 a 15

 

Versículos 6 e 7

—– A providência de Deus é soberana, podemos lançar toda nossa ansiedade sobre Ele.

1ª Pedro 2:23– Mateus 23:12 – Salmo 37:5 – Fil 4:6

 

Versículo 8

—- Devemos manter em todo tempo a sobriedade e a vigilância, não deixando nenhuma brecha ao adversário de nossa alma, pois como leão ele quer nos devorar.

Jó 1:7– 1ª Pedro 4:7 – Lucas 21:34

 

Versículo 9

—– Como filhos de Deus temos que nos armar em todo tempo da nossa fé, pois com ele nós podemos apagar todos os dardos inflamados do maligno.

Efésios 6:16– Tiago 4:7 – 1ª Tess 3:3

 

Versículo 10

—– Fomos chamados a uma gloria eterna, portanto ao passarmos por sofrimentos nunca será para nosso regresso, mas para nosso progresso na fé nos tornando cada vez melhores como cidadãos do céu.

 

1ª Cor 1:9– 1ª Pedro 1:6 – 1ª Tim 6:12

div#stuning-header .dfd-stuning-header-bg-container {background-image: url(http://igrejavix.com.br/wp-content/uploads/2017/10/estudo.jpg);background-size: cover;background-position: center center;background-attachment: scroll;background-repeat: no-repeat;}#stuning-header div.page-title-inner {min-height: 300px;}